Aprendizagem contínua: adote este “mindset” ou veja o fim de sua carreira como consultor

Thompson

A aprendizagem contínua é um conceito novo. O mundo de hoje não é o mesmo que o de 10 anos atrás, e parte disso se dá pela globalização e avanços tecnológicos que mudaram completamente a forma com que nós fazemos praticamente tudo.

Apesar da melhoria significativa que o processo de globalização traz consigo, a evolução não deixa de causar mudanças abruptas, e é preciso que os profissionais de todas as áreas se mantenham atualizados, preparados e compatíveis com os mercados.

Diante desse novo cenário mundial, a aprendizagem contínua se tornou um dos pilares mais importantes de uma empresa, porque ela garante que os profissionais estejam antenados às tendências, se preparem para diversas situações possíveis e adquiram novas competências extremamente requisitadas nesse ambiente inconstante.

Organizações que aliam a sua cultura ao mindset da aprendizagem contínua se destacam no mercado pela capacidade de inovar, de garantir qualidade de produtos ou serviços e por estimularem a competitividade no mercado.

Cada um possui uma história de trabalho, que é demonstrada em um currículo. Alguns currículos são impressionantes com as conquistas que foram obtidas, outros primam pela criatividade que é demolida com poucas checagens. 

Independentemente de como seja o seu histórico de trabalho, existe sempre o desafio de estar sempre atualizado com as últimas novidades metodológicas e sobre ferramentas de gestão. 

A aprendizagem contínua já existia há 40 anos atrás?

Quando eu entrei na faculdade em 1978 as carreiras eram bem definidas. Nessa época o que o mercado queria eram engenheiros. As escolas de engenharia, que eram poucas, eram extremamente concorridas. Contudo, o profissional se formava em engenharia e utilizava seu aprendizado por vários anos. 

Hoje esse cenário é completamente diferente, o profissional entra na faculdade de engenharia e sabe que vai estudar a vida toda, pois a formação começa, e continua, continua, continua; e não tem mais fim. Todas as carreiras, sem exceção, sabem que para continuar competitivas no mercado é necessário estar se atualizando a todo momento. 

O bom desse tempo que estamos vivendo é que estudar nunca foi tão barato. Existem cursos que são ótimos e não exigem nenhum investimento, e os que são pagos os valores são bem razoáveis. Programas de formação que no passado custavam pequenas fortunas, são ministrados por valores que cabem no orçamento de qualquer profissional consciente com suas necessidades futuras. Ou seja, não existe a desculpa financeira para não se atualizar.

Aprendizagem Continua: um novo perfil profissional

Jonas Prising, presidente e CEO da ManpowerGroup – e uma grande recrutadora – recentemente escreveu o artigo: “O modelo de um emprego para a vida toda está morto” e descreveu o perfil dos profissionais bem-sucedidos dentro das tendências de mercado para o futuro.

“Vamos precisar de uma nova geração de trabalhadores que tem fome de aprender e quer se manter no ritmo das mudanças. Eles vão ser pioneiros e encontrar novas maneiras de combinar negócios e tecnologia para aumentar sua produtividade. Vão atualizar os velhos modelos de trabalho. Organizações de todo tipo de indústria vão procurar mentes curiosas, flexíveis e orientadas a dados. Vão querer pessoas que têm a habilidade comprovada de aprender continuamente e continuar relevantes em seus campos de expertise. São pessoas que vão buscar ativamente oportunidades em que suas habilidades transferíveis podem ser aplicadas.”

A aprendizagem contínua na carreira da Consultoria

A THOMPSON é uma empresa de consultoria com grande reputação no mercado e que por possuir centenas de consultores pode ser considerada no ranking das grandes consultorias brasileiras – porém, mesmo com o nosso gigantismo, não deixamos de investir sempre em aprendizado e busca incessante por novas metodologias (maneira de fazer as coisas) e tecnologia (aplicativos que simplifiquem atividades necessárias na implementação de um projeto ou na gestão da empresa). Estamos sempre aprendendo. 

Todos os profissionais que estão conosco sabem que o processo é esse mesmo, estuda, estuda de novo, de novo e de novo; até que o seu cérebro diga: “vamos ajudá-lo a entender isso, pois ele não vai desistir”. Temos internamente uma plataforma de EAD (Ensino a Distância) para que os consultores sempre estejam atualizados com as últimas metodologias em discussão no mercado e casos de sucesso, e esse processo de aprendizado recebe anualmente um investimento significativo para continuar existindo. 

Em 2000, ou seja, há mais de 20 anos, nós resolvemos disponibilizar essa plataforma para o mercado. Nossa missão é: “Somos missionários do conhecimento para a melhoria dos negócios e do estilo de vida das empresas e das comunidades que atendemos”, e para cumprir nossa missão temos que transferir o nosso conhecimento para mais profissionais de mercado. 

Hoje o FCT (Formação de Consultores Thompson) está consolidado. Ocorre todos os meses no formato EAD e possui 10 módulos que são discutidos em 5 meses. A cada mês dois assuntos são discutidos em vídeo conferências onde todos os participantes são convidados a discutir um caso de utilização da metodologia aprendida. Os casos são todos reais oriundos dos projetos desenvolvidos pela THOMPSON no Brasil desde 1994. 

A forma de apresentar os casos foi minuciosamente estudada, para que se tornasse uma fonte importante de novas ideias. Eu fiz uma pós-graduação na Harvard Business School (2013 a 2015), onde o estudo de caso é utilizado em sua excelência para o ensino de executivos. Tive tempo de estudar bastante essa metodologia de estudo de caso, e esse aprendizado foi incluído no FCT. 

A interação entre os participantes é forçada para que a troca de informações e experiência também ocorra fora das aulas on-line. Para completar o programa os participantes têm que defender um caso utilizando todas as metodologias e ferramentas aprendidas.

Mas eu já sou consultor, esse programa também se aplica para mim?

Já tivemos no programa uma consultoria inteira composta de 16 consultores. Eles fizeram o programa e continuaram focados em um nicho bem específico de mercado, e continuam sendo nossos parceiros quando deparamos com clientes nesse nicho de mercado. 

Já tivemos casos de consultores que se conheceram no programa, identificaram alguma sinergia e montaram uma empresa de consultoria para ser parceira da THOMPSON e desenvolver também projetos que a nossa empresa não tinha interesse em atuar. Ou seja, as possíveis combinações são infinitas, pois não existe mais a questão da concorrência, todos podem interagir com todos. 

No mercado esse novo fenômeno está sendo chamado de “conexão em rede”, comunidades que vão se formando de acordo com as afinidades identificadas. Ocorre nas redes sociais, ocorre também no ambiente de trabalho.

Aprendizagem contínua: o que são Redes Colaborativas?

Um consultor sozinho não consegue fazer muitas coisas, pois consultoria é um trabalho em equipe. Cada um tem uma especialidade e juntos conseguem solucionar de forma mais inteligente e prática um problema apresentado pelo cliente. Se consultoria é uma atividade associativa, por que não participar de uma rede de consultores? A THOMPSON consegue proporcionar isso a todos que entram no que chamamos de “Rede Colaborativa”. Uma rede colaborativa tem bastante força quando as especializações são complementares e o conhecimento somado do grupo é maior do que o conhecimento de cada indivíduo atuando sozinho. 

O processo de remuneração desenvolvido pela THOMPSON tem a capacidade de remunerar todos os que trabalham em um projeto de forma meritocrática. Os percentuais são conhecidos e remuneram àquele que por algum motivo agregou valor ao projeto. Na THOMPSON em cada projeto 100% dos valores recebidos do cliente são distribuídos. Esse modelo de negócio é um dos nossos maiores diferenciais competitivos, pois somos capazes de montar uma equipe para desenvolver um projeto nacional com dezenas de consultores em um período muito pequeno de tempo. 

Por termos também uma cobertura de mercado invejável, temos outro grande diferencial competitivo que são os custos de passagens aéreas, hospedagens, etc; que são reduzidos com a presença física dos consultores nas principais capitais do Brasil. Nossa rede colaborativa se estende também para o mundo, pois fazemos parte do WILL GROUP, que tem sede em Londres e empresas de consultoria como a THOMPSON em todo o mundo. Podemos executar projetos mundiais com a mesma velocidade em possuir equipes montadas com representantes nas principais capitais do mundo na mesma velocidade que montamos as equipes no Brasil.

Como se atualizar e participar dessa Rede Colaborativa?

O nosso interesse com consultores independentes ou mesmo com consultores de empresas consolidadas no mercado brasileiro e fazer essa troca de experiências. A troca é estimulada no programa FCT, onde as metodologias são discutidas e os profissionais são convidados a demonstrar o quanto entenderam das metodologias apresentadas.

É claro que o desempenho do profissional no programa FCT é a chave para pensarmos em uma parceria futura. Pois da mesma forma como um currículo pode receber uma maquiagem para ficar mais bonito e verossímil, as experiências do consultor no mercado podem ter passado pelo mesmo processo. Investimos significativamente para criar testes e avaliações periódicas para identificar entre os participantes aqueles que realmente fariam diferença trabalhando conosco. Se você ficou interessado em conhecer mais sobre o FCT e sobre e THOMPSON entre no site: www.tmh.com.br/ .

Por Ronaldo Nuzzi
Por Ronaldo Nuzzi
Graduado em Matemáticas Aplicadas pela PUC-SP, com pós-graduação e MBA pelo Institut Superieur de Gestion (ISG-Paris) e OPM pela Harvard Business School, Ronaldo Nuzzi é sócio da Thompson Management Horizons. Há mais de 25 anos, atua com consultoria de gestão estratégica em projetos, no Brasil e no Exterior, envolvendo turnaround de médias e grandes empresas, reposicionamento mercadológico de divisões e de produtos, acompanhamento de processos de M&A, restruturação financeira, implementação de Centros de Serviços Compartilhados, entre inúmeras outras especializações. Antes de fazer parte da TMH, foi consultor sênior da Booz Allen & Hamilton e consultor da Ernst & Whinney (atual EY). É autor dos livros “8 Estratégias Imprescindíveis para o sucesso de uma empresa” e “Venda Certa”.
Por Ronaldo Nuzzi
Por Ronaldo Nuzzi
Graduado em Matemáticas Aplicadas pela PUC-SP, com pós-graduação e MBA pelo Institut Superieur de Gestion (ISG-Paris) e OPM pela Harvard Business School, Ronaldo Nuzzi é sócio da Thompson Management Horizons. Há mais de 25 anos, atua com consultoria de gestão estratégica em projetos, no Brasil e no Exterior, envolvendo turnaround de médias e grandes empresas, reposicionamento mercadológico de divisões e de produtos, acompanhamento de processos de M&A, restruturação financeira, implementação de Centros de Serviços Compartilhados, entre inúmeras outras especializações. Antes de fazer parte da TMH, foi consultor sênior da Booz Allen & Hamilton e consultor da Ernst & Whinney (atual EY). É autor dos livros “8 Estratégias Imprescindíveis para o sucesso de uma empresa” e “Venda Certa”.